SIGA A CÂMARA

Vereadores mirins visitam a Usina de Reciclagem


Data: 14/11/2022

Os vereadores mirins da Câmara Municipal realizaram visita na Usina de Reciclagem do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto - SAMAE, na manhã de sexta-feira (11/11). A ação foi parte do Projeto Câmara Mirim desenvolvido pelo Poder Legislativo de Pomerode. Durante as visitas estiveram acompanhados do presidente do SAMAE, Ricardo Campestrini, e a assessora da Câmara Mirim, Cleide Rauber. Participaram Vinicio Machado dos Santos, Anna Beatriz Hackbarth, Gabrielle Fernanda Nicoletto, Maria Lúcia Munis Ferreira, Laísa Backes Guedes e Walkiria Ariely Viebrantz.

Antes de se dirigirem à Unidade de Reciclagem, Cleide Rauber, se reuniu com os Mirins no Plenário Mário Jung, e apresentou vídeo sobre uma palestra antidrogas e um aprofundamento sobre as funções do Poder Legislativo.

A Usina de Triagem é o local onde ocorre a separação dos resíduos sólidos recicláveis provenientes das residências do município de Pomerode. A separação deste material é previamente realizada pelos munícipes em suas residências, com o uso de embalagens plásticas apropriadas, disponibilizadas pelo próprio SAMAE, que periodicamente realiza a coleta e as encaminha para a Usina de Triagem. No local, a separação é feita de forma manual. Quanto mais bem separado esses resíduos, maior o seu valor agregado.

Na Usina de Reciclagem, que foi criada em meados de 2008, os mirins tiveram um aprendizado único e puderam conhecer o processo de triagem do material reciclado. Receberam a informação de que o lixo reciclado é separado por tipo, prensado e vendido para empresas previamente licitadas. Do que é reciclado ainda resta material que não pode ser aproveitado e este vai para o lixo orgânico, cujo depósito fica na cidade de Timbó.

“A maioria dos pomerodenses faz a reciclagem de forma correta, no entanto, ainda há pessoas que não tem esse discernimento, jogando animais, restos de comida e, inclusive, agulhas junto ao reciclado, o que acarreta como crime, ferindo os funcionários, levando-os a ter de fazer diversos exames e a tomar coquetel de remédios para prevenir doenças infecciosas. Isso é muito triste e lamentável. A destinação correta de agulhas é levá-las em pontos de coleta como farmácias e postos de saúde”, explicou aos mirins, Ricardo Campestrini.

Arquivos


Fotos